A política de dispersão deixa um saldo de 2 acidentes

Fim-de-semana negro por causa da dispersão: dois acidentes em menos de 24 horas voltaram a fazer soar o alarme e a chamar a atenção para o perigo subjacente à política de dispersão.
 Todos os fins-de-semana, centenas de cidadãos e cidadãs bascos ficam expostos a graves riscos ao verem-se obrigados a fazer milhares de quilómetros, tal como recorda o movimento Herrira.
Desta forma, a dispersão transforma-se «numa cruel roleta russa para milhares de bascos e bascas ao longo de todo o ano». Desta vez, só por um acaso não estamos a falar de consequências irreparáveis, sem esquecer que a dispersão já tirou a vida a 16 familiares, amigos e amigas das presas e dos presos políticos bascos.
Depois de ontem uma amiga e um familiar de Txetxu Barrios e Iñaki Beaumont terem sofrido um grave acidente quando regressavam das visitas aos presos iruindarras na prisão de Albolote (Granada), hoje de madrugada a irmã de Iñaki Alonso (Portugalete) e amigos de Gorka Vidal (Zaratamo) e Óscar Calabozo (Trapaga) sofreram um acidente depois de os terem visitado na prisão de Córdova, quando regressavam ao seu país. São todos biscainhos. Com cerca 1600 quilómetros em cima e enfrentando condições meteorológicas adversas, perderam o controlo da viatura, que rodopiou várias vezes e foi embater violentamente contra a divisória central.
Os ocupantes tiveram de ser levados para o Hospital de Cruces. Apresentavam ferimentos vários, ligeiros, mas a todos foi colocado um colete cervical; a situação mais grave é a da irmã de Alonso, que sofreu um traumatismo crânio-encefálico. / Fonte: ateakireki.com e etxerat.info / Ver também: herrira.org

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.