A medicina internacional contra toda doença

Cartas de Washington

Nas fotografias, o jovem voluntário Sukru Kisa, originário da Turquia, nos demonstra desde a cidade de Nova Iorque, que é possível o desenho de um mundo com solidariedade e amor. No verão de 2017, Kisa viajou a essa cidade estadunidense para transmitir sua felicidade com os irmãos que precisam dessa medicina natural que todos somos capazes de produzir.

Por Ronnie Huete Salgado, de Washington DC – EUA

Fotografías: cortesía de Sukru Kisa 

Tradução: Raul Fitipaldi, para Desacato.info

 

No passado 3 de dezembro de 2018 foram lembradas as pessoas que vivem com alguma necessidade física especial e o cidadão de origem turca, Sukru Kisa, as lembrou com a importância que se merecem.

Kisa, que trabalha e vive em Washington DC, lembra a grata experiência que teve no verão de 2017, quando colocou em prática o amor ao próximo mediante o voluntariado que realizou na cidade de Nova Iorque.

E é que a Assembleia Geral das Nações Unidas na resolução 47-3 proclama o dia 3 de dezembro como o dia internacional das pessoas portadoras de necessidades especiais.

Segundo um informe publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de um bilhão de pessoas vive com algum tipo de necessidade especial.

Na mente de cada leitor já se desenha a imagem de alguma pessoa que observou na rua tentando caminhar ou fazer alguma atividade que para uma pessoa em pleno uso das faculdades físicas seria “normal”.

Porém, quem de nós teve a intenção de ajudar às pessoas com alguma deficiência física, ou pelo menos se perguntou quê qualidade de vida tem uma pessoa que sobrevive com alguma dificuldade no seu corpo.

Assim como o exemplo de Sukru Kisa, que, como bom cidadão deste mundo, pôde exteriorizar seus sentimentos em ações. Quantos de nós poderíamos reproduzir esta ação, derrubando assim a estratagema que vigora no individualismo humano?

É muito notório que nas agendas legislativas das nações prevalecem os interesses milionários das grandes corporações. Elas são em essência as que controlam os países e os “investimentos” na guerra entre nações, quem mantém o controle da paz no mundo.

Mas, quando as legislações internacionais, através dos parlamentos, beneficiam o status econômico do establishment, concentrando todo seu poder e benefícios a este empório internacional, causa um sentimento internacional de desumanização.

O Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, deve lembrar-nos que o amor ao próximo deve prevalecer no itinerário das nossas vidas, já que se esquecemos a interdependência entre os seres humanos, vistos como irmãos e não como concorrentes, daremos um forte sinal de que nos mantemos como numa morte vivente.

Morte que é alimentada com o ódio entre os seres humanos desde o momento em que os dispositivos do poder visualizados em celulares substituem as relações humanas e comunicativas.

Por tal motivo, o dia internacional dedicado às pessoas que vivem com algum necessidade física especial é um lembrete para que os líderes mundiais foquem suas políticas em benefício das pessoas com deficiências. Ou bem, se dediquem ao fomento de tecnologia que busque soluções médicas ou alternativas que facilitem o desenvolvimento dessas pessoas.

Mas, também é de suma importância que todos se envolvam em melhorar a vida dos nossos irmãos, já que desta forma podemos manter em vigência o amor pelo próximo e quebrar o estereótipo de concorrência econômica que nos implementaram na nova ordem mundial.

Muito além de situar o dinheiro como “ferramenta fundamental” na construção das nossas vidas, o espírito do amor e da solidariedade está por cima e podemos compartir com nossos irmãos, tal qual o expressou Sukru Kisa, que é uma prova viva de que é luz entre tanta escuridão.

 

 

A opinião do/a autor/a não necessariamente representa a opinião de Desacato.info.

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.