A lista das mortes nas favelas não para de crescer

Quantos nomes de moradores vítimas da violência na favela eu já escrevi em menos de dois anos de colunista!  Quantas vidas perdidas! Quantos moradores mortos vítimas da violência dentro das favelas de nossa cidade” A lista, infelizmente, não para de crescer.

Por Davison Coutinho.*   

Favela Rocinha
Favela Rocinha

 Há pouco mais de um mês perdemos o menino Eduardo, morto durante operação no complexo do Alemão. E agora mais quatro mortes no morro do São Carlos. O rosto de um dos jovens de apenas 15 anos que perdera sua vida. Nos depoimentos, o apelo da família por paz e a luta para provar que as vítimas não eram ligadas ao tráfico, mas sim inocentes mortos por culpa de uma guerra onde os pobres são as únicas vítimas. Na favela é assim, além de perder um morador nós temos a luta de provar que este era inocente, caso contrário é rotulado logo como bandido.

As drogas correm toda a cidade, da Zona Sul à Zona Norte. As drogas que encontram na favela, também, estão nas melhores coberturas nos mais nobres bairros da cidade. No entanto, quem paga com a vida e com o sangue são os pobres, os moradores das favelas que enfrentam todos os dias a violência que continua tirando vidas e destruindo famílias e sonhos.

Em entrevista à Agência Brasil, Atila Roque, diretor da campanha “Jovem Negro Vivo”, revelou que de acordo com números do Sistema Único de Saúde (SUS), de 2012, no Brasil ocorrem 56 mil homicídios por ano, sendo que mais da metade se referem a jovens entre 15 e 29 anos. Sendo que desse total 77% são negros. Como que esses dados não fazem os nossos representantes entenderem que esse raciocínio da segurança pública de guerra e criminalização dos jovens pobres só está destruindo e matando gente. A polícia mata e morre. É pobre matando pobre!

Força ao São Carlos e às favelas do Rio de Janeiro. Que Deus possa confortar o coração de todas essas famílias.

* Davison Coutinho, Do Jornal do Brasil,  morador da Rocinha desde o nascimento. Bacharel em desenho industrial pela PUC-Rio, Mestrando em Design pela PUC-Rio, membro da comissão de moradores da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, professor, escritor, designer e liderança comunitária na Comunidade.

Fonte: Geledés

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.