A Eletrosul acoberta desrespeito à legislação trabalhista

eletrosul

A Eletrosul vangloria-se por seguir as Metas do Milênio e o Pacto Global da Onu,comprometendo-se com Princípios Básicos de defesa dos direitos humanos e direitos do trabalho. Também faz propaganda do “Programa de Valorização dos Terceirizados” e do “Terceira de Primeira”, listados no Relatório de Sustentabilidade da Empresa 2013. As ideias são lindas. Mas na realidade, a Eletrosul acoberta empresa que não cumpre obrigações trabalhistas e atenta contra direitos e dignidade de trabalhadores.
No final do ano de 2012, a gestão da Eletrosul propagandeava em seu boletim eletrônico “Saiba Mais”, que tinha suas ações enquadradas nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), por patrocinar projetos sociais e apoiar formalmente duas iniciativas da Organização das Nações Unidas (ONU): as Metas do Milênio e o Pacto Global (Global Compact), comprometendo-se com princípios básicos de defesa dos direitos humanos, direitos do trabalho, proteção do meio ambiente e combate à corrupção.
A certificação ODM foi recebida pela Eletrosul, durante o II Simpósio Estadual dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio,realizado no dia 27 de novembro, na Celesc, em Florianópolis. Estes programas estão listados no Relatório Anual de Sustentabilidade Eletrosul 2013, documento destinado a prestar contas à sociedade em geral, inclusive das ações de responsabilidade social. O documento ainda estampa como o primeiro dos Princípios Éticos da Eletrosul, a Dignidade Humana e o respeito às pessoas.
Diante disso, é inconcebível que a gestão da Eletrosul, em 2014, permita que continue a prestar serviços terceirizados à empresa, uma empreiteira que ignora os princípios defendidos pela Eletrosul. É o caso da empresa ServPlus, que há cerca de 4 meses atrasa sistematicamente o pagamento de salários de trabalhadores que prestam serviços em diversas áreas da Eletrosul. Para se ter ideia do desrespeito, os salários de novembro, que devem ser pagos no início do mês subsequênte foram pagos no dia 22 de dezembro. O décimo terceiro foi recebido somente na véspera do Natal, dia 24. O salário do mês de dezembro, até dia 14 de janeiro, antes do
fechamento desta edição, não havia sido pago aos empregados de Joinville e Capivari de Baixo. Os trabalhadores não recebem nas datas devidas nem mesmo o vale alimentação e o vale transporte para seu deslocamento para o trabalho. Em Joinville, por reclamar da situação, um empregado da ServPlus foi demitido verbalmente a cerca de 40 dias até o presente momento, não recebeu nenhumanotificação por escrito, não sabe como, onde e quando vai receber as verbas rescisórias, já tendo sido substituído pela empresa terceirizada.
A empresa ServPlus mantém em seu sitio na Internet um portifólio de clientes, contendo, entre outras empresas públicas, a Eletrosul com sua marca estampada.
Os sindicatos da Intersul exigem dos gestores da Eletrosul informações sobre quais as providências formais a empresa está adotando para garantir o cumprimento da legislação trabalhista por parte da Serv-Plus, em nome dos Princípios Éticos da Eletrosul, da Dignidade Humana e respeito às pessoas.
Qual é de fato o nível de comprometimento da gestão da Eletrosul com os princípios básicos de defesa dos direitos humanos e direitos do trabalho propagandeados no seu Relatório Anual de Sustentabilidade.

Fonte: Sinergia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.