A Deforma do Ensino Médio e a idiotice programada

Por Edinaldo Enoque, para Desacato. info.

Muito se tem falado sobre a Reforma do Ensino Médio, muito se tem escrito sobre a mesma. Eu sou da vertente contrária a isso que se costumou chamar de Reforma, que na verdade não passa de uma deforma. O Brasil passa por uma crise histórica de pensamento. A crise pela qual o Brasil passa é muito maior do que a econômica, política, tributária ou previdenciária. O País passa por uma crise generalizada de idiotização e anomia.

O diagnóstico é complexo, mas a base de análise está na falta de competência de estruturação do pensamento. Temos certa dificuldade em compreender as mudanças paradigmáticas pela qual o Brasil tem passado em complexidade, não conseguimos ter a capacidade de pensar em abstração e vislumbrar o futuro, nosso pensamento é presentista.

Agimos politicamente como o homem pré-histórico agia para sobreviver; pautado somente no hoje.

Estamos acuados perante os fatos. Pensar é um exercício inerente ao ser humano, mas a reflexão é uma construção de abstração filosófica. A reflexão é produto das interações dos seres humanos em sociedade, uma relação dialética, dialógica e complexa. Tirar isso do ser humano é reduzi-lo ao animal. Ao longo da história, a educação brasileira não se preocupou com a reflexão, é histórica a preocupação do nosso país com a reprodução. Se Kant estiver certo, o esclarecimento é a capacidade de nos tornarmos maior, e ser maior é a capacidade de sermos autônomos.

Menor, é aquele que depende dos outros para tomar as decisões (heteronomia), que é o contrário da autonomia.

A Deforma do Ensino Médio é claramente voltada para a heteronomia, é uma afronta ao exercício da reflexão, mais um ingrediente no processo de idiotização do brasileiro. Filosofia, Sociologia, Artes, Educação Física para quê? Porque deveríamos pensar abstratamente, eticamente e esteticamente? As camadas populares, não precisam se preocupar com Aristóteles, com Kant ou Monet, basta prepara-los para o trabalho? E o pensamento crítico, político e social? Será de responsabilidade de uma Intelligentsia elitizada?

Não me assustará se tivermos que pensar a educação no Brasil em termos de luta de classes. Porque é claramente nesse sentido que a Reforma do Ensino Médio está encaminhando. Determinado grupo detentor do saber cientifico e outro preso aos chãos das fábricas. Para um governo claramente neoliberal, esse tipo de ação mostra a estreiteza do nosso pensamento a longo prazo. Logo, ao contrário de se retirar a obrigatoriedade, deve-se injetar doses cavalares de humanidades na educação, para que equívocos grosseiros como o que estamos prestes a vivenciar não sejam sequer cogitados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.