7º Concurso de Microbolsas da Agência Pública

2017-04-20 15:20
7º Concurso de Microbolsas da Agência Pública

 

publica

Microbolsas Maconha: últimos dias para se inscrever!

Com apoio do CESeC, a Pública vai financiar quatro pautas de repórteres independentes sobre o tema “maconha”; a bolsa é de 7 mil reais

Está acabando o prazo para que repórteres se inscrevam no 7º Concurso de Microbolsas da Agência Pública. Nesta edição, que conta com o apoio do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania, da Universidade Candido Mendes – CESeC, a Pública convoca repórteres independentes de todo o Brasil para investigar o tema “Maconha”. Serão quatro microbolsas de 7 mil reais para as melhores propostas de investigação sobre o tema. As inscrições vão até o dia 29 de abril e devem ser feitas através deste formulário.

Com o concurso, a Pública e o CESeC pretendem fortalecer e qualificar o debate sobre as drogas e sobre os efeitos das políticas a elas relacionadas. O projeto pretende incentivar jornalistas de todo o Brasil a produzir histórias que informem a sociedade quanto aos vários aspectos envolvidos na produção, no uso recreativo e medicinal, na história e na criminalização da maconha.

O concurso busca pautas inéditas e repórteres interessados em revelar aspectos até hoje desconhecidos em relação à maconha. As pautas devem ampliar o conhecimento sobre os mecanismos de consumo, uso e repressão à maconha no Brasil. “Queremos reportagens que encarem de maneira séria, profissional e investigativa a droga mais utilizada no país, cujo status como ilegal está em debate em todo o mundo – inclusive no Supremo”, diz Natalia Viana, co-diretora da Pública.  “Discutir aspectos relevantes sobre o uso das drogas precisa deixar de ser um tabu. É papel do jornalismo abordar todos os temas que impactam a sociedade”.

“Desde 2014, quando foi realizada a primeira edição do Prêmio Gilberto Velho Mídia e Drogas, o CESeC vem se dedicando a estimular uma participação maior e mais qualificada da mídia no debate público sobre políticas de drogas. A imprensa pode contribuir muito para reduzir o predomínio de visões preconceituosas e equivocadas sobre as drogas, que continuam a alimentar políticas ultrapassadas e ineficazes”, diz a coordenadora do CESeC, Julita Lemgruber.

Para fazer a inscrição, é necessário que o repórter apresente a pré-apuração da pauta, quais fontes pretende entrevistar e em qual formato a reportagem vai ser feita. O regulamento completo está disponível no site da Agência Pública.

A seleção das pautas será feita pelas diretoras da Pública, Marina Amaral e Natalia Viana, em conjunto com coordenadora do CESeC, Julita Lemgruber. O anúncio dos vencedores será feito no dia 9 de maio, no site da Pública. A produção das pautas será acompanhada pela Pública, que também vai editar e publicar o material a partir de julho.

Sobre a Agência Pública: Fundada em 2011, a Agência Pública é uma iniciativa de jornalismo independente sem fins lucrativos focada na produção de reportagens investigativas distribuídas mais de 70 republicadores. Todo o conteúdo pode ser livremente reproduzido sob a licença Creative Commons.  Sua missão é a produção de material jornalístico pautado pelo interesse público – visando ao fortalecimento do direito à informação, à qualificação do debate democrático e à promoção dos direitos humanos. Além de ser financiada através de campanhas de crowdfunding, a Agência Pública tem como parceiros fundações que investem na democratização da mídia como a Fundação Ford e a OAK Foundation. A Pública é atualmente a agência mais premiada do país. Em 2016, foi vencedora dos prêmios Gabriel Garcia Marquez, Vladmir Herzog e Petrobrás, o que garantiu o posto de terceiro veículo mais premiado do país. Foi também o primeiro veículo brasileiro indicado ao Prêmio Liberdade de Imprensa da Repórteres Sem Fronteiras. http://apublica.org/

Sobre o CESeC : Fundado em 2000, na Universidade Candido Mendes, Rio de Janeiro, o Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (CESeC) desenvolve projetos para o aperfeiçoamento do sistema de justiça criminal e o subsidídio de políticas públicas voltadas à redução da criminalidade com respeito aos direitos humanos. Desde a sua criação, o CESeC já realizou 60 projetos de pesquisa, consultoria e ensino, que resultaram em 20 livros e mais de 60 publicações. Além de Política de Drogas, o CESeC tem como linhas de pesquisa: Polícia e Sociedade; Justiça e Sistema Penitenciário; Indicadores e Políticas de Segurança; Juventude, Movimentos Sociais e Cidadania; Mídia e Violência e Mediação de Conflitos. http://www.ucamcesec.com.br/

 

Deixe uma resposta