2º Ato Contra o aumento da tarifa em Florianópolis para o trânsito na saída da capital

Texto e fotos: Fernanda Pessoa de Carvalho, para Desacato.info

Apoio logístico: Ana Luiza Lucena.

Na tarde de ontem, aconteceu o 2º Ato contra o aumento da Tarifa em Florianópolis. Manifestantes fizeram a concentração em frente ao Terminal Urbano do Centro (Ticen) e percorreram as principais ruas do centro da capital catarinense. Em frente à prefeitura, onde, no primeiro ato, os manifestantes queimaram um boneco representando o prefeito César Souza Júnior e colaram cartazes contra o aumento da tarifa, havia uma grande concentração de policiais militares e guardas municipais.  


Após uma parada de cerca de cinco minutos em frente à prefeitura, os manifestantes desceram pela  lateral da praça XV de novembro e dirigiram-se ao Ticen, onde realizaram uma assembleia para decidir o rumo do protesto. A decisão coletiva foi ocupar a Ponte Colombo Salles, única forma de saída da ilha. A Polícia Militar, que até então acompanhava o protesto sem interferências, advertiu os manifestantes sobre a tentativa de ocupar a ponte. 0Como a caminhada seguia em frente, os policiais fizeram três barreiras para impedir que os integrantes continuassem. A primeira, formada por policias militares; a segunda, pela tropa de choque; e a terceira, pela cavalaria.  A ponte ficou fechada pelos policiais por mais de quinze minutos. Todo o trânsito aos arredores ficou paralisado. 


Depois de muita discussão entre os organizadores do manifesto, a decisão foi retornar ao Ticen e realizar um catracaço, quando todos pulam as catracas. No Terminal, os policiais impediram os manifestantes a pularem as catracas, mas deixaram livres o acesso pelas portas laterais das plataformas. Com a plataforma A tomada, a entrada ficou livre para todos. Alguns moradores passavam sem pagar e uníam-se ao coro da luta contra o aumento. Ao final do protesto, os manifestantes dividiram-se em grupos para garantir o livre acesso aos ônibus em todas as plataformas.


Hoje, 17 de janeiro, às 16h, está agendada uma reunião para organizar o próximo ato que vai acontecer na sexta-feira, 23 de janeiro, às 17h, em frente ao Ticen. O ato vai acontecer simultaneamente em outras cidades do Brasil que também protestam contra o aumento da tarifa. A tarifa, em Florianópolis foi reajustada no dia 11 de janeiro. O valor do cartão, que antes era 2,58, aumentou para 2,98, ou seja, trinta centavos. E, quem pagava no dinheiro, percebeu um reajuste de 12%, a tarifa foi de 2,75 para 3,10.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.