Governo engaveta R$ 33 milhões doados por Noruega e Alemanha à Amazônia

O desmatamento em 2020 será maior do que em 2019, ano em que o Brasil registrou recorde de derrubada de vegetação nos últimos 10 anos, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Desmatamento na Amazônia (Foto: Agência Brasil)
O governo está deixando de usar R$ 33 milhões do Fundo Amazônia, programa financiado pela Noruega e pela Alemanha, para o combate ao desmatamento recorde na Amazônia. Reportagem do jornal O Estado de S. Paulo desta quinta-feira (9) revela que o dinheiro está disponível para duas ações: uma de combate a incêndios pelo Ibama e outra para que o Ministério da Justiça amplie o trabalho de fiscalização na floresta pela Força Nacional.
Maior programa de financiamento do país voltado a ações contra o desmatamento, o Fundo Amazônia travou um ano atrás, quando o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o presidente Bolsonaro passaram a disparar críticas e dúvidas sobre a iniciativa, sob acusações de que seus mais de cem projetos ambientais, estimados em R$ 1,8 bilhão, serviriam para financiar organizações socioambientais, em vez de proteger a floresta.
Representantes de 38 empresas nacionais e estrangeiras e quatro entidades ligadas ao agronegócio enviaram nota ao vice-presidente Hamilton Mourão, aos presidentes da Câmara e do Senado e ao procurador-geral da República nesta semana, manifestando preocupação com o desmatamento na Amazônia e o impacto disso para os negócios do país. “Essa percepção negativa tem um enorme potencial de prejuízo para o Brasil”, diz trecho da carta. Veja aqui.

desmatamento em 2020 será maior do que em 2019, ano em que o Brasil registrou recorde de derrubada de vegetação nos últimos 10 anos, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O alerta veio dos sistemas Deter e SAD. Entre agosto de 2019 e abril de 2020, as taxas mensais de desmatamento ficaram todas acima das do período anterior.

O calendário do desmatamento vai de agosto do ano anterior até julho do ano corrente. Seguindo esse calendário é possível afirmar que no Pará, o aumento do desmatamento atingiu 170%, totalizando 233.011 hectares. Em toda a Amazônia Legal o desmatamento foi de 566.624, o que representa uma tendência de aumento de 94% em relação ao mesmo período do calendário anterior, ou seja, de agosto de 2018 a abril de 2019. Os alertas são do Deter.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.