#Editorial A luta do povo saaraui não aparece nos jornais

Leitores e leitoras do Portal Desacato e audiência do JTT Agora, bom dia.

A saga de resistência do povo saaraui não é notícia nos jornalões, nem nas redes de televisão nem em nenhum tipo de mídia que represente os interesses das elites mundiais. Nos jornais da Espanha aparece de vez em quando o conflito. Mas, como sempre, a mídia sustenta a narrativa que convêm à monarquia marroquina, associada ao país peninsular que antes foi seu ocupante.

A Espanha franquista é quem entregou os territórios saarianos ao monarca marroquino, Hassan II, serviçal de Ocidente. Essa entrega é uma das dívidas pendentes mais importantes que tem uma Espanha também monarquista com os direitos humanos e a autodeterminação dos povos. O espírito colonialista da monarquia espanhola não mudou com o retorno à democracia. A Espanha continua sendo colonialista, agora de forma indireta, pela aliança com a cruel monarquia do Marrocos.

Desde que em 1976 a Frente Polisário declarou a independência do seu território, a imprensa trata à frente como dentro da Espanha trata todos os movimentos independentistas, sejam galegos, bascos, andaluzes ou catalães, estes últimos com seus dirigentes presos em pleno século XXI. Sempre ronda o adjetivo terrorista ou traidor a qualquer movimento que reivindique seus direitos históricos, culturais, étnicos, políticos e econômicos.

A República Árabe Saaraui Democrática precisa do reconhecimento e ajuda internacional em defesa do seu direito à autodeterminação frente ao opressor marroquino. Seus povos historicamente autônomos ficaram a mercê dos interesses do Ocidente que, através da vassalagem do Marrocos, tem os olhos postos nas riquezas do seu território assim como no controle dessa região estratégica que reúne o Oceano Atlântico com o Mar Mediterrâneo.
As lutas contemporâneas do povo saaraui merecem um tratamento jornalístico semelhante àquelas que travam o povo palestino, iemenita e o povo curdo. A nascente mídia das elites latino-americanas, ovo que chocou a Sociedade Interamericana de imprensa, nos inculcou a falsa normalidade da destruição da Grande Colômbia, a colonização de Porto Rico, as invasões ao Panamá e tantas outras agressões à autodeterminação dos povos. Colocar em pauta a luta do povo saaraui é de especial importância.

Estamos em 2020 e ainda existem povos milenares com culturas e formas de vida diferentes, que são alvo do ataque impiedoso de Ocidente e suas elites perversas. Elites protegidas pela chamada “comunidade internacional” que se esconde entre os bastidores da Organização das Nações Unidas, dominada pelo poder bélico e econômico das grandes potências. A luta saaraui é um alerta para todas as nações que possuem riquezas ou têm territórios estratégicos para o capitalismo imperialista, e necessita ser contemplada por sociedades que de tanto olhar para o umbigo um dia perderão os olhos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.