Florianópolis: Medida extrema contra a exclusão

O morro que resiste e luta em defesa de um direito básico é tratado como violento.
Mas não tratam como violenta a exclusão social do direito básico à água e luz em tempo de pandemia.

Coletivo Ocupações Urbanas da Grande Floripa
MNLM (Movimento Nacional de Luta por Moradia

Não tratam como violento o extermínio e o genocídio praticado pela Prefeitura Municipal, prefeito Gean, governador Moisés e Presidente, verme psicopata amigo do vírus, contrário ao povo negro e empobrecido dos morros e das periferias.
Enquanto nossos direitos sociais forem tratados como privilégios, nós, dos morros e das periferias em legítima defesa do direito à vida digna de nossas famílias seremos a resistência ativa e o poder popular contra a insensibilidade, abandono, tirania e violência promovida pelo estado!

Medida extrema

Após quatro dias sem energia elétrica, perdendo os alimentos na geladeira, sem água, sem banho quente, após várias reclamações e tentativas de sensibilização sobrou apenas esta medida extrema.

As pessoas, mesmo bloqueadas pela barricada, entenderam o motivo do bloqueio e apoiaram, fazendo outro percurso.O fogo foi para sinalizar o bloqueio e não ocorrer acidente de motos e carros que passam rápidos e estava tudo no escuro sem luz. O resultado foi positivo pois gerou a religação da energia antes das 2h da manhã de hoje dia 5 de julho.

—————————————————————————————–

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.