Editorial: 90 dias de jornalismo em casa, triunfos e frustrações: seguimos!

Leitores e leitoras do Portal Desacato e audiência do JTT Agora, bom dia.

Muitos aprendizados e muitas decepções, muito esforço, vitórias, sobrevivência, luta e lágrimas. Distância de muito mais que ruas, paisagens, abraços e partilhas. Muito mais que um intervalo coletivo. Bem mais do que tudo isso nos propôs e ainda nos propõe a Covid-19, visita assassina que tomou conta do planeta e do nosso dia a dia.

As amigas e companheiras de luta, os amigos e companheiros do cotidiano no sindicato, na rua, no grito de justo reclamo, esses que aparecem de punho alçado nas fotos, essas que denunciam ao vivo frente à nossa câmera, sabem quanto gostamos de produzir jornalismo onde nosso povo está. Está sendo muito duro fazer jornalismo em confinamento. Mas também amanhecem conhecimentos dormidos, técnicas desconhecidas e o desejo de persistir, de cumprir nosso papel diário, entrevistar, publicar, reproduzir, escrever, manter nossa Cooperativa e nosso Portal vivos, muito vivos, apesar dos porém e dos acasos; manter-nos pungentemente vivos.

Graças às entidades que nos apoiam, às leitoras e leitores amigos, vamos atravessando três meses de intensa luta, lambendo feridas, de pé, tentando entender fatos inquietantes e novas tecnologias. Juntando cada centavo para obter melhor qualidade de imagem, de som, de tudo. Nova gente chegando para colaborar no Brasil e no exterior. Muitas vozes novas, outras que retornam e outras que foram embora. Noventa dias que parecem anos a fio.

Estamos agora, mesmo que de cara meio amarrada, esticando já as pálpebras e abrindo os olhos para o tempo depois da pandemia. Nem passa por nossa cabeça deixar de servir, de fotografar, de gravar gritos e filmar punhos apertados. Há novas plataformas adotadas, tem novas formas de fazer. Existem mais sonhos ainda, mais esperanças de sermos asas para levar as palavras de um novo tempo em busca de outra democracia; na procura de documentar a recuperação e ampliação das conquistas dos e das trabalhadoras. Com o desejo de descrever uma sociedade justa, equitativa, sem discriminação, sem preconceitos, sem disputas dentro da nossa própria classe, que muito ainda temos de lutar para nos emancipar da exploração.

Seguimos, apesar do cansaço, da dor, da injustiça, seguimos e crescemos porque só podemos alargar, aprender, divulgar e compartilhar. Seguimos porque temos a vocês, entidades da nossa classe trabalhadora, leitoras e leitores do nosso campo de luta, companheiras e companheiros de todas as idades, etnias, raças, orientações, universos humanos e países. Seguimos porque não se foge ao combate e porque todos juntos e juntas VENCEREMOS!

Bom fim de semana.
#NossaOpinião #Editorial #Desacato13Anos #RededeJornalismoSolidário

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.