1º de fevereiro: Há 86 anos era assassinado Farabundo Martí

Seu nome serviu de inspiração para várias organizações de esquerda latino-americanas, algumas das quais carregam esse nome, como a Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN) e as Forças Populares de Libertação Farabundo Martí.

A Luta de Classes é dura e não se faz só por eleições, por mais democráticas que sejam. A democracia e a soberania dos povos são conquista da permanente luta dos trabalhadores por direitos que a classe dominante lhes subtrai.

farabundo-marcial

Farabundo Martí nasceu em 5 de maio de 1893, na localidade de Teotepeque, no atual departamento da Liberdade, e desde pequeno teve contato com camponeses e trabalhadores e começou a ver de perto as injustiças contra os mais despossuídos, e também à rechaçá-las.

Sua infância e adolescência transcorreu em uma época em que o poder oligárquico de algumas famílias do café roubavam as terras dos indígenas e camponeses e na qual se ergueram as primeiras indústrias para processar o café que levou à ruína milhares de produtores artesanais deste produto.

Depois de graduar-se bacharel em 1913, iniciou estudos de leis na Universidade de El Salvador, que abandonou para se dedicar à luta revolucionária.

Participou na organização, entre 1918 e 1924, de sindicatos de trabalhadores, e não só foi parte das batalhas de seu povo, como também foi membro da União Anti-imperialista das Américas, do Socorro Vermelho Internacional e do Partido Comunista Mexicano.

Por seu pensamento e ação foi exilado e viajou à Guatemala, México, Cuba, Jamaica, Estados Unidos e Nicarágua. Na Guatemala, em 1925, participou na fundação do Partido Comunista Centro-Americano.

Combateu junto a Augusto César Sandino na Nicarágua contra a invasão estadunidense, de forma que em 4 de maio de 1929 lhe foi concedida a patente de coronel efetivo do Exército Defensor da Soberania Nacional da vizinha nação.

Ao regressar a El Salvador, o país vivia uma profunda crise econômica e o povo começava a organizar-se ante as penúrias que sofria entre o despejo das terras, a pobreza, a desigual distribuição das riquezas.

Farabundo foi líder nestas lutas e converteu-se no principal dirigente do Partido Comunista Salvadorenho, fundado em 1930.

Após o golpe de Estado do general Maximiliano Martínez, contra o governo de Arturo Araujo, em 22 de janeiro de 1932, produziu-se uma grande rebelião de indígenas e camponeses.

Participou nos preparativos do levante, mas foi detido em 19 de janeiro de 1932, julgado sumariamente pelos militares e fuzilado por ordens do ditador Maximiliano Martínez em 1 de fevereiro de 1932.

Seu partido foi posto na ilegalidade no contexto de uma grande onda repressiva. Em 1980, o Partido Comunista de El Salvador uniu-se com outras quatro formações para integrar a guerrilha que retomou sua figura como símbolo de resistência.

A FMLN iniciou uma longa luta contra os governos da oligarquia salvadorenha até 1992, quando foram assinados os Acordos de Paz e desde então se converteu em um partido político de esquerda, ganhador das eleições de 2009 e de 2014 de maneira consecutiva.

Seu nome serviu de inspiração para várias organizações de esquerda latino-americanas, algumas das quais carregam esse nome, como a Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN) e as Forças Populares de Libertação Farabundo Martí.

Com Informações do Diário Liberdade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.