14 anos: Atos para pedir liberdade dos 5 Cubanos

Nesta quarta-feira (12), organizações e movimentos de vários países vão realizar atos e manifestações para lembrar os 14 anos de prisão dos Cinco Cubanos detidos desde 1998 nos Estados Unidos; as atividades vão acontecer até o dia 31 de outubro

Da Adital.

Na próxima quarta-feira (12), organizações e movimentos de vários países vão realizar atos e manifestações para lembrar os 14 anos de prisão dos Cinco Cubanos detidos desde 1998 nos Estados Unidos. As atividades em apoio à causa dos antiterroristas vão acontecer até o dia 31 de outubro. Até este dia, serão realizadas passeatas, palestras, exposições fotográficas, projeção de filmes, ações culturais, manifestações em frente às embaixadas dos Estados Unidos, entre outras.

Na Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Cuba, Chile, Peru, Porto Rico, México e Venezuela as entidades organizadoras das manifestações solidárias planejam soltar cinco pombas durante as cinco marchas e concentrações que serão realizadas.

Na Bolívia, a programação de quarta-feira será uma marcha seguida por plantão em frente à embaixada dos Estados Unidos. Na ocasião, os/as manifestantes vão entregar uma declaração às autoridades da embaixada. A atividade acontecerá das 11h às 13h. À noite, será realizada uma mesa redonda na Universidade Maior de San Andrés com a participação de membros da Embaixada de Cuba na Bolívia. Os interessados apoiar a atividade, enviar sugestões, trocar informações ou manter contato pode escrever para [email protected]

Também nos Estados Unidos acontece manifestação no dia 12. Além de uma conferência de imprensa e uma ação em frente ao Departamento de Justiça, em Washington DC, será realizada uma apresentação na Escola de Leis de Howard, com um dos advogados da equipe de defesa dos Cinco, Leonard Weinglasss.

No Canadá, Toronto Forum on Cuba fará a projeção do filme “Posada Carriles, Terrorismo Made In USA”. Na sequência, haverá um debate em que se analisará a prisão injusta dos Cinco Cubanos enquanto Posada Carriles – acusado de ser o mentor do atentado ao vôo 455 que matou 73 passageiros – anda livre pelas ruas de Miami. Mais informações sobre a atividade:www.torontoforumoncuba.tyo.ca.

Em Buenos Aires, Argentina, às 17h15h, serão libertadas cinco pombas pelos Cinco na Praça Itália. Em seguida, manifestantes se concentrarão e às 19h sairão em marcha da Praça até a embaixada dos EUA. A manifestação foi organizada pelo Movimento Argentino de Solidariedade com Cuba (Mascuba) e recebeu a adesão de mais de 10 organizações sociais, agrárias, universitária, empresariais, entre outras. Ao chegar à embaixada, será entregue petição e realizado um ato político-cultural.

No Brasil, onde surgiu a ideia de libertar as cinco pombas pelos Cinco, acontecerá na cidade do Rio de Janeiro uma mobilização em frente ao Consulado dos Estados Unidos, aonde será lida a ‘Carta Aberta ao Povo dos EUA’. Os/as manifestantes vão estar munidos de cartazes e panfletos para explicar para as pessoas a história dos Cinco Cubanos.

Na Grande São Paulo as atividades foram antecipadas e a Municipal de Diadema realizou uma audiência pública especial pelos Cinco. Na ocasião foi aprovada a ‘Carta de Diadema’, que exige a libertação de Antonio Guerrero, Fernando González, Gerardo Hernández, René González e Ramón Labañino. O documento será enviado à embaixada dos EUA no Brasil (em Brasília), ao consulado em São Paulo, ao Ministério de Relações Exteriores do Brasil e ao Congresso estadunidense.

Representando a África, Guiné Bissau também preparou uma ação para marcar os 14 anos de prisão dos Cinco e pedir sua liberdade. Membros de cinco organizações solidárias assinaram uma carta de apoio à libertação dos lutadores cubanos

Também no Líbano (Ásia Ocidental) os pedidos de liberdade aos cubanos serão ouvidos. Hoje pela manhã aconteceram atividades no marco da Jornada Mundial de Solidariedade com os Cinco, realizada pelos Comitês de Solidariedade Libaneses. A emissora ‘A voz do povo’ transmitiu um painel com a participação de Hassan Jounie, professor da Universidade Árabe Libanesa, especialista em Diretos Humanos; Ghania Mehdi, secretária de Relaciones Internacionais da Liga de Mulheres Libanesas; e um ex-preso libanês que esteve detido por 17 anos.

Até o dia 31 de outubro as ações terão continuidade em diversos países como Cazaquistão (Ásia Central), Inglaterra, Bélgica, Colômbia, Porto Rico, Peru, Chile, Espanha e Itália. Com participação mais intensa dos países da América Latina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.