1° Congresso Internacional do Livro, Leitura e Literatura no Sertão

De 14 a 19 de maio deste ano, a cidade de Petrolina vai viver dias intensos de programação literária, com a chegada da primeira edição do Clisertão. O I Congresso Internacional do Livro, Leitura e Literatura no Sertão será aberto com a aula espetáculo “Cultura popular brasileira”, de Ariano Suassuna, no auditório da UPE/Campus Petrolina.

O poeta pernambucano Cancão, cujo centenário de nascimento é comemorado em 2012, será o grande homenageado desta primeira edição do evento, realizado pelo Governo do Estado de Pernambuco, numa parceria entre a Secretaria de Cultura e a Secretaria de Ciência e Tecnologia, através da Fundarpe, do Colegiado de Letras da UPE/Campus Petrolina, e com o apoio da Prefeitura de Petrolina.

Este é o primeiro ano de uma ação que pretende dar início à Rede do Livro, Leitura e Literatura no Sertão. Surpreendentemente, as cidades de Petrolina e Juazeiro, juntas, não têm sequer uma livraria, embora haja bibliotecas e uma produção literária. Diante disso, a relação da população de Petrolina com o livro pretende ser provocada, com o objetivo de criar uma cultura de valorização desse artefato cultural. Ações como a Soltura de Livros e a Biblioteca Itinerante visam aproximar o objeto da população. “Uma ação inusitada é a dos livros andarilhos e da soltura de livros, além da inauguração da biblioteca itinerante, que ficará instalada no terminal marítimo, aproximando o livro da população, e deixando sementes na região para fortalecer o livro enquanto objeto simbólico do cotidiano das pessoas”, explica Wellington de Melo, coordenador de Literatura da Secretaria de Cultura de Pernambuco.
Além destas ações, o Clisertão dará foco à multiculturalidade e ao diálogo, afastando-se de purismos tradicionalistas, e tendo, ao mesmo tempo, a preocupação de não se render a um hibridismo fácil. Discussões sobre o Sertão serão postas em foco durante diversos debates, como a mesa-redonda da terça-feira (15/5), intitulada “Sertão: espelho, miragens – O Nordeste mítico e o Nordeste contemporâneo na literatura”, com a participação dos escritores Raimundo Carrero (PE) e Antônio Torres (BA).“O Sertão será tema de diversas mesas de debates, mas longe de buscar a romantização ou a folclorização do tema, o congresso se propõe a discutir as imagens e, por que não, miragens que a literatura construiu ao longo dos anos em torno do espaço do Sertão, enquanto marco simbólico e paisagem do imaginário brasileiro. Lançar essas discussões em Petrolina tem um significado especial, uma vez que o que se vê na região destoa do que normalmente se propaga como Sertão na literatura”, explica o Coordenador de Literatura.

Outros temas como letramento, hibridização, nomadismo, redes de leitura, cadeia produtiva do livro e literatura latino-americana também farão parte das rodas de discussão promovidas pelo congresso. Alguns nomes internacionais também estarão presentes, como o poeta português Luís Serguilha, que dará uma conferência sobre poéticas e línguas de fronteiras, além de uma oficina sobre conexões entre a poesia brasileira e a portuguesa. Sobre as presenças internacionais, o coordenador de Literatura afirma que os debates “devem girar em torno das relações entre culturas e suas implicações na estética literária de cada povo”.

Ariano Suassuana, Jessier Quirino, o dominicano Rei Berroa, Antônio Torres e Ronaldo Correia de Brito são alguns dos destaques da programação, que contará com cinco mesas-redondas, uma conferência, um recital, 20 mini-cursos, duas aulas-espetáculo, um encontro de escritores e uma mesa de glosas. Além de programação infantil e descentralizada.

Para saber mais informações, acesse o blog do Clisertão, que ficará no ar durante todo o evento, com entrevistas, fotos e cobertura das ações.

Fonte: http://www.fundarpe.pe.gov.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here